Terapeuta Ocupacional Pediátrica

TERAPIA OCUPACIONAL PEDIÁTRICA

Tem como principal objetivo favorecer o desenvolvimento da criança para que ela tenha autonomia nos seus fazeres.

O profissional avalia e planeja momentos e atividades que favoreçam o aprendizado de novas habilidades, através de atividades de interesse para a criança.

O Terapeuta Ocupacional Infantil desenvolve competências nas áreas sensório – motora, de processamento da informação, interação e outras que não permitam ou dificultem o envolvimento da criança nas suas áreas de ocupação, como o brincar e a participação na escola. 

SERÁ QUE MEU FILHO PRECISA DE TERAPIA OCUPACIONAL?

Quando uma criança não completa as etapas esperadas do desenvolvimento infantil ( Marcos do Desenvolvimento), ou responde de forma diferente aos estímulos sensoriais do ambiente.

A Terapia Ocupacional Infantil pode auxiliar avaliando o motivo pelo qual esta dificuldade ou atraso está ocorrendo e planejando estratégias que auxiliem no desenvolvimento dessas habilidades.

SINAIS DE ATRASO NO DESENVOLVIMENTO

Cada criança tem um ritmo diferente de desenvolvimento. Assim sendo, muitas vezes é difícil separar o que é simplesmente uma particularidade e o que é um verdadeiro atraso no desenvolvimento, que possa estar sendo causado por alguma condição que precise ser investigada e tratada.

A observação dos pais e das pessoas que mais convivem com a criança é a melhor forma de identificar possíveis atrasos. Caso seja identificado algum problema, intervenções médicas ou terapias específicas ajudam a reduzir eventuais prejuízos futuros, principalmente se iniciadas bem cedo.

Os médicos usam o termo “atraso no desenvolvimento” quando uma criança não atinge alguns dos marcos do desenvolvimento com a idade esperada, mesmo já levando em conta as variações individuais.

O atraso pode ocorrer em uma ou mais áreas como:

MARCOS DO DESENVOLVIMENTO

  • 3 MESES
  • 6 MESES
  • 9 MESES
  • 12 MESES
  • 18 MESES

O que a criança faz nessa idade?

 

  • Agarra objetos nas mãos, mas ainda não olha pro que está segurando.
  • Brinca com os dedos. Leva as mãos à boca.
  • Já tem maior controle da cabeça quando está sentado ou de bruços.
  • Visualmente alerta, segue os adultos com os olhos e move a cabeça.
  • Começa a estabelecer rotinas com o sono ou a hora da amamentação.
  • Produz ruídos quando está feliz.
  • Vira a cabeça na direção do som.
  • Movimenta os lábios e produz sons com a boca.
  • Mostra prazer quando lhe pegam ao colo ou falam para ele.
  • Reage quando canta para ele, chama ou brinca com ele. Pode chorar quando para de brincar.
  • Mantém contato visual durante a amamentação ou quando alguém fala com ele.
  • Aprecia o banho e outras rotinas diárias.
  • Sorri de forma intencional! O corpo do bebê agita-se e irradia felicidade.

3 – 6 Meses: O que a criança faz nessa idade?

 

  • Segura um copo ou objeto com as duas mãos.
  • Levanta e controla os movimentos da cabeça e do pescoço.
  • Se estiver deitado de barriga para baixo suporta o peso da cabeça e do tronco apoiando-se na palma das mãos.
  • Tenta sentar-se quando está seguro pelas mãos.
  • Consegue rolar sobre o próprio corpo.
  • Brinca com os pés quando deitado de costas.
  • Olha para os brinquedos dentro do seu campo de visão e agarra-os com ambas as mãos.
  • Ocasionalmente, pode usar apenas uma mão para agarrar os objetos
  • Esta é a fase da descoberta!
  • O bebê está alerta e cada vez mais atento às pessoas e ao que se passa em seu redor.
  • Emite sons quando está brincando e grita de entusiasmo ou quando está irritado.
  • Reage, vocalizando e virando a cabeça, quando ouve o seu nome ou um som que lhe é familiar.
  • Dá gargalhadas.
  • Adora chocalhos ou outros brinquedos que emitam sons e sacode-os deliberadamente.
  • Levanta as mãos e estende os braços para pedir colo.

6 – 9 Meses: O que a criança faz nessa idade?

 

  • Utiliza os membros para se movimentar, rolando para trás e para frente.
  • Permanece sentado sem apoio.
  • Consegue alcançar e agarrar o que quer ou a posicionar-se no chão para brincar.
  • Transfere objetos de uma mão para outra.
  • Tem cada vez mais força nos membros (braços e pernas).
  • É capaz de sentar e se movimentar para testar o equilíbrio.
  • Distingue claramente a sua família de estranhos.
  • Vocaliza monossílabos e dissílabos e gosta muito de conversar.
    Começa a entender o conceito do “não”.
  • Responde à voz e quando o chamam pelo nome.
  • No chão, rasteja.
  • Predomínio da posição de sentada. Tenta puxar-se para a posição de pé.
  • Consegue segurar dois objetos ao mesmo tempo.
  • Começa a usar o polegar para agarrar melhor os objetos.
  • Pronuncia vogais, consoantes e até sílabas (“um”, “da”, “ma”).
  • Tem noção do objeto permanente, começando a criar ligações emocionais com pessoas e objetos.
  • Engatinha ou começa o treino para engatinhar em breve.

9 – 12 Meses: O que a criança faz nessa idade?

 

  • Está prestes a dizer a sua primeira palavra.
  • Usa “papá” e “mamã” com significado.
  • Engatinha, consegue alterar a posição das pernas, alongar-se para alcançar algum objeto ou para transferir os braços para um apoio mais elevado.
  • Já consegue encaixar peças de formas simples.
    Usa os braços para levantar e se colocar de pé, e permanece com apoio.
  • Aponta com o indicador.
  • Leva copo, mamadeira ou alimentos até a boca.
    Começa a “dar”.
  • Faz brincadeiras de imitação.
  • Dá tchau e bate palmas.
  • Manifesta carinho com abraços e mimos principalmente pelos pais.
    Utiliza sons e tons diferentes para expressar sentimentos como a surpresa.
  • Alguns bebês começam a dar os primeiros passos agarrados ao adulto ou aos móveis.
  • Domina alguns movimentos finos, como a pinça com os dedos e o polegar.
  • Ajuda a vestir-se, dando a mão ou o pé.
  • Horas de sono diário: 11 a 15 horas.

12 – 18 Meses: O que a criança faz nessa idade?

 

  • Consegue escolher, segurar, pôr ou tirar brinquedos de uma caixa.
    Segura o lápis e já rabisca.
  • Pode começar a dar os primeiros passos e andar por curtas distâncias. Nesta altura, andar, começa a ser uma tarefa que faz com mais segurança e que está praticamente estabelecida.
  • Ainda precisa de apoio para se levantar.
  • Dependendo do seu contato com livros, já consegue virar as páginas.
  • À medida que o equilíbrio se estabelece, começa a correr, a andar para traz e a saltar, mas ainda o faz com os dois pés.
  • Sofre com a separação dos pais (ansiedade de separação).
    Faz jogos de imitação.
  • Compreende e obedece ordem simples.
  • É um explorador com grande curiosidade de mexer e alcançar tudo o que se encontra no seu campo visual.
  • Adora brinquedos que fazem ruído ou produzem música.
    Maneja a colher apesar de ainda não dominar o seu uso completamente.
  • Começa a construir a autoconfiança e independência, querendo desempenhar algumas tarefas sozinho.
  • É capaz de subir para uma cadeira pequena.
  • Deixa cair e atira objetos deliberadamente.
  • Sobe escadas engatinhando.
  • É capaz de tossir para chamar a atenção.